Home » Com o cão ao hospital veterinário universitário

Com o cão ao hospital veterinário universitário

“Na verdade, temos muito em comum”, ponderei a caminho de regresso do veterinário em Coimbra, “os três somos velhos, ainda não tão bonitos, com um bom coração e continuamos a andar. Sempre.”

De regresso para casa da terceira visita com o cão ao veterinário do Hospital Veterinário Universitário de Coimbra

Isso é um bocado, não é? Em inglês é um pouco mais curto: o uni-vet de Coimbra.

Nosso amor teve que ir ao veterinário. Há alguns meses “O Casal” veio ter comigo: “Precisamos conversar …” O Casal (grifo do autor) é um casal português que vem cá há muito tempo, e muitas vezes, para reabastecer para o final de semana.

Especialmente a Maria ama nosso cachorro, e o amor é mútuo

Já ouço quando eles chegam: “Awuuwuuwuu-uuuu-uuu” uiva Donkie, alto como uma ópera, e a Maria entende tudo o que ela diz. Eu acho que significa: (“Ondeestavas fiqueitãosozinha ninguémestádandoatençãoamim!”) (Não é verdade!)

Às vezes sinto-me um pouco envergonhado, porque na maioria das vezes deixo o animal correr livre (animais gostam disso), mas agora que ela está envelhecendo, ela precisa de um pouco mais de cuidado. A Maria vê coisas que eu não vejo.

Ela costumava de viver bem. Dormia em algum lugar na palha, estava sempre com os burros, brincava no campo, ia passear com um dos hóspedes, deixava uma das crianças acariciá-la, e tinha a melhor vida imaginável.

“Serei um cachorro na minha próxima vida, com certeza!” suspirei regularmente, quando tinha que continuar sem parar durante o verão, e o cachorro, ou cachorros (cuidamos de alguns nos últimos anos) se enrolaram como um trapo nas escadas ao sol, ou vieram de volta de uma aventura no campo, até o pescoço coberto de lama, cheio de alegria e emoção.

Agora ela, a cadela contemporânea, tem unhas muito compridas, porque não anda tanto. Elas têm que ser cortados. Felizmente que a Maria me avisa, e que posso passar essa tarefa para o veterinário. “Eles têm equipamentos especiais, nós não. Não conseguimos, mas eles vão ”, Maria disse. Concordo. Afinal, eles aprenderam a fazer isso, e cortar unhas de animais não é minha especialidade. Também deixei com prazer os burros para o ferrador.

Que bom que o Doutor Tiago arranjou isso. Ainda bem que ela responde bem ao tratamento. Ela tem parasitas nos pulmões, o que é um tratamento arriscado e de longo prazo. Ela fez uma cardiografia hoje, para verificar se aqueles arrepios emigraram ao coração dela. Mas o coração dela é bom. Ela está em boas mãos.

Sim, somos um pouco parecidos, nós três. O cachorro, o carro e eu.

Todos os três um pouco mais velhos, gostam muito da nossa liberdade, com bom coração, e sempre continuamos indo!

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado.